Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Não li o briefing

Como ser criativo na publicidade e não ser apanhado.

Não li o briefing

Como ser criativo na publicidade e não ser apanhado.

O que importa aos anunciantes numa agência de publicidade

Agosto 20, 2014

Manuel Soares de Oliveira

                                       

 

 

De acordo com uma recente pesquisa entre Directores de Marketing americanos para a Forbes Magazine, foi-lhes perguntado quais as principais razões para esolherem uma nova agência de publicidade ou para deixarem de trabalhar com a agência actual.

A principal razão apontada para a escolha de uma nova agência é o facto desta agência ter uma oferta integrada de comunicação em marketing. Antigamente, as agências referiam-se a isto como "uma agência de serviço completo". É curioso ser esta a principal razão apontada, dado que, nos últimos anos tem-se privilegiado a especialização em detrimento do "serviço completo". Mais curioso, é esta preferência ser mais importante do que "publicidade efectiva", a segunda razão apontada nesta pesquisa.
Acredito, que isto se deve a uma crescente complexidade da oferta de plataformas para os anunciantes. Torna-se, cada vez mais difícil, conseguir acompanhar as novidades e as ofertas do mundo digital. Se pensarmos nas constantes mudanças dos algoritmos de algumas plataformas digitais ou das inovações constantes das ofertas do LinkdIn, Twitter ou do Instagram, o panorama torna-se assustador e por isso torna-se compreensível a vontade dos directores de marketing e anunciantes em terem da parte da agência de publicidade uma oferta integrada sobre estas áreas e também sobre os meios tradicionais. Cada vez mais, os anunciantes estão cansados, em terem que lidar com vários interlocutores para a execução de uma campanha de publicidade.

 

Esta tendência, vem no fim de um ciclo, em que a principal preocupação dos anunciantes foi o de cortar os custos com as agências de publicidade. Estes cortes de receitas junto às agências de publicidade, trouxe um redução obrigatória dos recursos humanos e um uso cada vez maior de juniores e de colaboradores sem experiência. Será curioso ver como as agências conseguirão responder às necessidades crescentes dos anunciantes, quando passaram os últimos anos reduzindo as equipas. Sem ovos não se fazem omeletas.

 

No entanto e com esta mudanças tão vertiginosas, as agências tradicionais parecem estar com algumas dificuldades em se adaptarem. A maioria dos entrevistados nesta pesquisa declararam que as agências tradicionais estão com dificuldades em adaptarem os seus modelos de negócio a esta idade digital. 

 

Aparentemente as agências estão a contratar os recursos humanos e tecnológicos, mas não os conseguem integrar efectivamente nas estruturas existentes e adoptar efectivamente essas capacidades tecnológicas. 

 

As outras razões apontadas para um anunciante despedir uma agência, são as razões mais clássicas: A insatisfação com o trabalho criativo, a mudança de pessoal por parte dos anunciantes e a falta de capacidade em apresentar um trabalho integrado.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D