Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Não li o briefing

Como ser criativo na publicidade e não ser apanhado.

Não li o briefing

Como ser criativo na publicidade e não ser apanhado.

As redes sociais e os resultados adversos

Setembro 06, 2018

Manuel Soares de Oliveira

Analisando o recente caso do convite/desconvite à Srª Le Pen para vir à Web Summit, devemos analisar o caso do ponto de vista da comunicação e especialmente das redes sociais.

O convite à Senhora foi descoberto e rapidamente tornou-se o assunto do dia nas redes sociais. Mais à esquerda não houve quem não se indignasse e exigisse a proibição do convite. À direita houve quem defendesse a tolerância e os que defendiam o direito da Srª Le Pen de discursar. Ambos acabaram por dar maior destaque à Srª Le Pen e às suas ideias.

Em termos de redes sociais, o que aconteceu é que um assunto que poderia não ter tido relevância passou a ser muito relevante. A lógica das redes sociais é que um assunto que é comentado, em que a pessoa faz um like, passa a ser mais visto por toda a gente. Por isso, uma das opções de quem era contra as ideias da Srª Le Pen era ter simplesmente ignorado o assunto.

Ao comentarem os posts contra e a favor da Le Pen, o que aconteceu é que esses posts que vocês comentaram e condenaram, acabaram em destaque nas vossas páginas e exibido aos vosso amigos, dando destaque a uma opinião com a qual não concordavam.

Qual a solução ? Ignorar esses posts e garantir que os mesmos desaparecem na irrelevância do ciberespaço.

Ao dar destaque à visita da Srª Le Pen, o que aconteceu foi dar destaque às suas ideias. Aposto que, a página da Frente Nacional teve um aumento de visitas durante essa discussão e que as páginas dos amigos da Srª Le Pen em Portugal tiveram uma maior visibilidade e atraíram mais seguidores que desconheciam a existência dessas páginas. 

O paradoxo de Popper, foi muito citado nesta discussão no sentido que não deveremos tolerar os intolerantes. Mas, ao proíbi-los estamos a dar-lhes maior destaque. Acredito que, a melhor estratégia, é simplesmente ignora-los.

Umberto Eco chamava a atenção para esta nova realidade das redes sociais, ao descrever como as redes sociais deram a muitos idiotas o megafone para serem ouvidos, quando anteriormente limitavam-se a dizer estupidezes num bar, depois de um copo de vinho, e todos os presentes no bar limitavam-se a ignorar as suas opiniões. Mas, com as redes sociais, esses idiotas encontram outros idiotas e subitamente parece que as suas opiniões tem alguma relevância, quando deveriam simplesmente continuar a serem ignoradas.

0.jpeg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D