Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Não li o briefing

Como ser criativo na publicidade e não ser apanhado.

Não li o briefing

Como ser criativo na publicidade e não ser apanhado.

Tirem o gorila do anúncio pois as pessoas não vão perceber

Setembro 06, 2018

Manuel Soares de Oliveira

As pessoas gostam de comunicação bem-humorada e com pertinência. Antigamente todas as campanhas sofriam de uma excessiva avaliação e qualquer opinião contrária era tida em grande importância e quando a campanha, depois de 500 alterações finalmente ia para a rua, já estava à prova de críticas. Também é verdade que, o que acabava por sair era tão cinzento que não agradava a ninguém mas também não sofria críticas. O Director de Marketing não era criticado mas também não era promovido.

Com o advento das redes sociais começou-se a notar que o consumidor era mais inteligente do que se supunha em alguns departamentos de marketing. O consumidor gostava de humor, gostava de ironia e gostava de marcas que o tratam como uma pessoa inteligente.

Isto, a propósito deste outdoor do Porto Velhotes. Pode-se dizer que é um outdoor arriscado e facilmente sujeito a críticas por parte dos mais ressabiados. Mas todas os anúncios que são populares são criticáveis. Lembro-me do anuncio da Cadburys com o gorila e que havia alguns iluminados que achavam que se estava a comparar o consumidor de Cadburys a um primata. Ou do brilhante anúncio do Tou Xim da Telecel. Ambos são anúncios que ficaram na história e que foram super populares. Mesmo assim lembro-me de um anunciante dizer que não compreendia o anúncio da Telecel pois equiparava o consumidor Telecel a um pastor. Por incrível que pareça há muitas pessoas no marketing e publicidade que pensam assim.

De uma das campanhas em que também fui criativo, a do Licor Beirão com o Futre, o país inteiro elogiava a campanha. Houve capas de jornais com a campanha mas mesmo assim estive com um director de marketing que fez questão de me dizer que a campanha estava toda errada pois faltavam ocasiões de consumo nos cartazes e que o Futre não era credível. 

Relativamente ao outdoor Velhotes, assim que a foto foi publicada no Facebook da minha agência e aqui no LinkedIn, tornou-se viral com centenas de partilhas e milhares de Likes. Sinal que as pessoas gostam de humor e das marcas que o demonstram. Ainda bem que ainda há anunciantes com esta coragem e que percebem que há um país real para lá do Kotler. 

De chatos, já bastam os catedráticos e teóricos do Marketing que não perceberam o Pastor da Telecel nem o Futre do Beirão. 

0-1.jpeg

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D